CONTACTOS

Tel: (+351) 918 483 143

E-mail: destravalinguas.saude@gmail.com

HORÁRIOS 

Segunda a Sexta: 09:00 – 20:00

​Sábado: 09:00 - 18:00

Lisboa | Campo Grande

Oeiras | Queluz de Baixo

 REDES SOCIAIS

  • Facebook

DestravaLinguas.saude/

  • Instagram

destrava_linguas_terapiadafala/

© 2019 por Destrava Línguas, Lda

Terapia Ocupacional

O que é a Terapia Ocupacional?

A Terapia Ocupacional é uma profissão da área da saúde que estuda as ocupações humanas e intervém no sentido da promoção da independência e autonomia. 

Os terapeutas ocupacionais que trabalham na área da pediatria, têm como objetivo a promoção das competências da criança (motoras, cognitivas, sensoriais, emocionais e sociais) que limitam o desempenho ocupacional, para melhorar a participação nas suas atividades do dia-a-dia (brincar, comer, atividades escolares, interação com os pares e adultos, vestuário) nos diversos contextos em que está inserida. 

O terapeuta ocupacional colabora com pais e educadores, cedendo estratégias, ajudando na seleção de materiais e na adaptação do ambiente, de modo a facilitar a aquisição de novas competências.

O que é a Integração sensorial?

A Integração Sensorial é o processo neurológico que organiza a informação que recebemos do nosso corpo e do mundo que nos rodeia, para depois utilizarmos na nossa vida diária. Dá significado ao que experienciamos através da seleção da informação que é relevante e permite-nos agir ou responder às situações de forma a que tenham significado. 

A sequência lógica é perceber, organizar e responder, mas muitas crianças têm dificuldade em segui-la e enfrentam a Disfunção do Processamento Sensorial.

Desde a fase pré-escolar, pais e educadores encontram sinais dessa disfunção, que tem consequências em vários níveis. A Integração Sensorial é a base para um desenvolvimento sensório-motor, um comportamento social e uma aprendizagem académica adequados.

A integração sensorial é uma abordagem da Terapia ocupacional e no decorrer da intervenção pretende-se que o sistema nervoso da criança melhore a capacidade para modular, organizar e integrar a informação do meio. São dadas oportunidades para planear ações, respondendo aos desafios crescentes que vão surgindo, permitindo respostas adaptativas cada vez mais complexas, através do brincar.

Deve-se ter em atenção os sinais de alerta que justificam o encaminhamento para avaliação de um Terapeuta Ocupacional, especializado em Integração Sensorial.

Quando procurar um terapeuta ocupacional?

 

Criança

  • Ser desastrada e cair com muita frequência;

  • Esbarrar nos objectos;

  • Ter dificuldade no vestir/despir;

  • Ter dificuldade em sentar-se na cadeira – por exemplo, senta-se na ponta da cadeira ou senta-se com muita força;

  • Fazer tanta pressão no lápis, que parte muitas pontas de lápis;

  • Não gostar de atividades “sujas”, tais como plasticinas ou digitintas;

  • Ter dificuldade em permanecer numa fila de crianças, especialmente se estiver entre crianças;

  • Estiver constantemente a tocar ou a pôr na boca objetos não comestíveis;

  • Tiver medo de alturas, elevadores, escadas;

  • Evitar baloiços ou equipamentos do parque infantil;

  • Tiver necessidade excessiva de movimento intensos (rodopiar, saltar, balançar-se);

  • Gostar de chocar contra as coisas e pessoas e de tudo o que dê impacto no corpo;

  • Distrair-se facilmente com o barulho;

  • Tapar os ouvidos quando ouve sons inesperados (autoclismo, sirenes, aspirador…);

  • Ter comportamentos desadequados de fuga, ansiedade ou agressividade perante barulho inesperado, como por exemplo no centro comercial;

  • Evitar contacto ocular;

  • Gostar muito de estímulos visuais intensos como objetos que rodam, luzes que piscam, etc;

  • Evitar novas comidas com novos sabores ou cheiros;

  • Mostrar uma forte resistência à alteração na temperatura da comida ou bebida; 

  • Reagir defensivamente à comida na boca, especialmente a certas texturas;

  • Comer/mastigar e/ou cheirar por rotina objetos não comestíveis;

  • Tiver aversão a atividades com água, como tomar banho, lavar o rosto e lavar as mãos;

  • Expressar angústia na lavagem dos dentes e no pentear do cabelo;

  • Ter dificuldade em adormecer e em manter-se a dormir;

  • Dificuldades na coordenação motora global e fina.

Ficou com dúvidas?

Pretende agendar uma consulta?